quinta-feira, 1 de novembro de 2007

"Ensaio sobre a ignorância"

Fui obrigado a fazer um novo post para responder ao único comentário da postagem anterior. Peço desculpas se ofender alguém, mas saiba que não é a minha intenção.

Esta postagem é especial e não terá outras do gênero, só a fiz para colocar alguns pingos nos iisss.

“Ensaio sobre a ignorância”

Meu amigo Bardo, respeito seu ponto de vista, e sua maneira de ver a vida, contudo, não concordo!

Pra começar, já discordo do título de seu comentário “A ignorância é uma benção”. Não sei se reparou, mas a maioria de minhas postagens são assuntos polêmicos para levar o leitor a pensar, e em nenhuma delas há uma conclusão. Mas, no entanto, coloco meu ponto de vista.

Há um tempo atrás, um grande amigo me aconselhou, “se for criticar procure saber mais do assunto ou pessoa a ser criticada”. Então a partir daí, passei a estudar qualquer coisa que discordo, uma vez que, se algum dia tiver que discutir sobre este, eu possa estar á altura para tal.

Nunca critiquei nenhuma pessoa neste blog, uma vez que, seria muito sério criticar alguém, sem no mínimo conhecê-la bem. Procurar entender o porquê de sua posição, e estudar o que a levou a ter tal entendimento. Sabe, tentar ver de todos os ângulos possíveis, para não ser injusto com ela e com você mesmo.

Então discordo que a ignorância é uma benção, eis que, é por causa dela, que o mundo está como está.

Durante todo o seu comentário você me criticou, expondo o que achava sobre mim, ao dissertar sobre religião, uma vez que, segundo você, não tenho. E que, como posso eu criticar uma religião que está abrindo as portas para o mundo gay, se sou eu que reclamo da aceitação da homossexualidade. E continua, expondo minha ignorância sobre a religião e minha falta de respeito sobre elas.

Você fala sobre a minha ignorância sobre religião, o que eu ando fazendo de especial, e que deveria procurar uma que me enriqueça e me ensine a ser melhor, e ainda diz que as minhas criticas não são construtivas.

Bom... como todo bom viado diz: “TO BEEEEGEEEEE” . Vou tentar ser o mais claro, carinhoso e respeitador possível em minha defesa, porque acho que tenho o direito de me defender.

Meu amigo Bardo, você me conhece? Sabe qual a minha religião? Acho que não, porque, uma vez, além de nos conhecermos a pouco tempo, nem sequer nos vemos com frequência.

Mas isso pode ser concertado, e estou aberto a termos uma amizade mais fraternal e mais próxima, como sempre estive disposto.

Ao contrário do que você acha, não sou nenhum leigo em religião, mas também não sou um filósofo ou teólogo, mesmo porque se fosse não criticaria, mas sim defenderia o ponto de vista de minha religião.

Antes de me encontrar neste ponto critico e radical sobre a vida, procurei entender primeiro o sentido desta. E foi através da religião que me encontrei de verdade, me aceitei, e aprendi a ser uma pessoa melhor. Foi através da religião que aprendi a respeitar e ser respeitado. Você tem toda a razão ao dizer que não tenho uma religião, porque é a verdade, não tenho uma religião, tenho várias.

Foi freqüentando, conhecendo e absorvendo os pontos positivos de cada religião que freqüentei, que construi meu sentido critico sobre a vida.

Sobre a minha critica das religiões na postagem anterior o que tenho a dizer é que:

- Sobre a Igreja Católica, cresci, fui batizado, fiz a primeira comunhão e a crisma, tudo isso enquanto ainda acreditava ser a igreja justa e honesta com seus fiéis. Mas quando descobri que não era, que na verdade o que a igreja queria era poder e dinheiro, que mesmo conhecendo a realidade deste país e do mundo, com tanta pobreza e doença, critica e proíbe o uso de camisinhas, que vendo o alto incide de crimes bárbaros contra a criança, só nos EUA teve milhares de processos de abuso sexual infantil, que apesar de abominar e chamar de doença a homossexualidade, acho que é o maior grupo concentrado de homossexuais do mundo. E isto você não pode negar, porque está ai pra todo mundo ver.

Ainda assim, consegui tirar algo de bom da igreja católica, a busca pela tolerância e paz, que alguns ainda com caráter e fé respeitam, e seguem a verdadeira doutrina da igreja, o amor ao próximo.

- Quanto à A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos últimos Dias (os Mórmons), sua unidade básica é a família, a moral, e o casamento. Contudo, somente uma Ala da Igreja é que tem aceitado os fiéis assumidamente homossexuais. Mas pensem bem, isso é correto?

O correto é que a sociedade nos aceite como somos, mas para isso não é necessário que mudem seus costumes. Os gays também podem ter uma família, podem se casar, e acima de tudo são honrados.

Agora o que não pode é continuar a mesma coisa, abre-se uma Ala par aceitar os diferentes, mas como um todo, continuamos afastados! Isso sim é falta de respeito.

Nos aceitam em parte, para fazer vista grossa a verdadeira realidade que se impõe na sociedade... a diferença!

Chega a ser hipócrita da parte de algumas religiões dizer que aceita a diferença... é tão absurdo, que outro dia li a capa de uma revista evangélica de uma grande igreja conhecida... e na capa tinha um homem com seus 40 anos, e embaixo da foto entitulado... “EU FUI GAY”... Me poupe né!

Agora, quanto à o que eu ando fazendo de especial, isso não diz respeito à ninguém, uma vez que não tenho obrigação de sair gritando pra todo mundo que eu fiz uma caridade aqui... ajudei alguém ali, dei comida pra uns mendigos acolá!!!

O meu radicalismo quanto à diferença, política e religião não é atoa, tenho meus fundamentos e ideiais, e isso não dá o direito á ninguém de me criticar.

Pelo menos não fico de braços cruzados esperando as coisas acontecerem. Não sou militante de uma vez ao ano... sou o que sou e me assumo todos os dias e luto por igualdade em qualquer lugar que eu estiver.

Quer me criticar de verdade? Seja meu amigo, só assim me conhecerá o bastante pra até bater na minha cara, mas tenha a absoluta razão do que está fazendo ou dizendo!

Cult 28

3 comentários:

Bardock o Bardo disse...

O meu amigo quando li seu novo post me deu uma certa tristeza. Tristeza por tu não entender o que lhe escrevi e queria transmitir. Muito provável que eu não tenha escrito da forma adequada na qual mostraria minha idéia pois acho que quando alguém posta um Blog ele tem que estar de coração aberto para receber criticas construtivas positivas e principalmente negativas pois são criticas de pessoas com outro olhar diferente do nosso. Fiquei me indagando qual a melhor forma de lhe responder sem ser agressivo ou parecer arrogante porque eu como você estamos na mesma escola chamada Terra.
Ai resolvi destrinchar o que você havia respondido entretanto depois vi que não tinha sentido achei que poderia trazer discórdia já que você se sentiu tão ofendido por minha resposta. Quero lembrar que em momento nenhum tive a intenção de lhe ofender e que eu sempre deixei aberto em nossa amizade, mesmo que seja nova e curta, a falar e apontar o erros que cometi poque acredito que só assim construiremos uma amizade verdadeira mesmo que não nos vemos com freqüência continua e é assim que eu tenho tentado agir.

"A Ignorância é uma dádiva"

Quando pus esse titulo queria exemplificar a minha idéia que para quem muito é dado muito lhe será pedido ou seja se Deus deu a oportunidade de eu ter acesso ao estudo, religião e uma boa índole muito de mim será cobrado já que eu tive acesso a muitas coisas que me dão um discernimento maior das situações, do certo e errado do bem e mal que acontece no mundo podendo interagir de forma drástica na vida dos outros, como o presidente tem o poder de mudar drasticamente a vida de milhões de pessoas, como uma celebridade, um papa, um pastor, um espírita como Chico Xavier, um traficante e etc
Algumas pessoas não tem acesso a cultura mas tem acesso a interação em massa (como citei alguns lá em cima) que também é uma grande dádiva não é? Já que o que ele disser poderá formar caráter e conduzir o ser humano para o lado do bem ou mal.
Só para ilustrar o que digo lembra dos Astecas? Bem eles achavam certo o sacrifício dos seus semelhantes não achava? Não era sua religião? Você acha que Deus vai condena-los por isso? Eu acho que não já que dentro de sua evolução moral aquilo era certo e diferente dos estrangeiros tinham acesso a ciência e o lado INTELECTUAL mais aprimorado que achavam errado e no entanto que os dizimarão.

"A Ignorância é uma dádiva" é um provérbio popular e tem muita verdade nele é só você olhar com os olhos que olhei e não traduzi-lo ao pé da letra. Com certeza a ignorância é uma fatalidade e como você disse tem muitas coisas ruins acontecendo por causa dela por um lado uma dádiva de não haver MUITA cobrança.


Provavelmente é mais fácil não crer em algo porque para quem muito lhe é dado muito lhe será cobrado. É muito confortável não seguirmos uma religião, seja ela qual for já que cada uma tem sua peculiaridade, sua exigência e sua crença. Cada ser humano tem sua bagagem evolutiva e necessidade espiritual.
Quando disse isso me referi a todos que lerem já que o Blog é publico. E queria explicar um pouco meu titulo (já expliquei para você acima). E acredito que é muito conveniente o ser humano não seguir uma religião a risca porque como disse cada uma tem sua exigência, sua crença, sua peculiaridade, sua verdade. Dando um exemplo: não quero ser católico porque tenho que ir na missa todo domingo, não quero ser evangélico porque tem que ouvir o pastor todo domingo, não quer ser budista porque tenho que me abnegar de muitas coisas, não quero ser espírita porque tenho que ir na reunião todo dia. Participar de uma religião é acreditar nela e fazer acontecer nela isso requer estudo, disciplina, doar seu precioso tempo de fim de semana para ela e se abnegar de coisas que nos gostamos.


Se fulano acredita na religião X e gasta todo seu patrimônio material nessa religião cabe a nós respeitar, pois aquele é o MOMENTO dele e com certeza quando ele evoluir intimamente ele procurará uma crença que o acrescentará mais. Quantas pessoas vemos que saíram do mundo das drogas, do álcool, do sexo e outras mundanas graças a uma religião X??? São muitas pode ter certeza. Claro que nos revoltamos com as exuberâncias que muitas religiões exibem ainda mais num pais como o nosso com falta de recursos para o próximo. O problema de muitas pessoas, e não religião é o fanatismo que nos cega para qualquer entendimento.

Meu amigo essa foi para você, para mim e para quem ler, pois escrevi para todos com o pensamento que o Blog e publico. Num dia para trás no qual nem me lembro mais estava revoltado com o castelo da Olegario Maciel que no meu ver é uma afronta ao nosso povo brasileiro já que os recursos gastos nele poderiam ser úteis para outras coisas mais importantes e afinal Jesus sempre pregava a simplicidade. Mesmo com essa revolta tentei ver o lado bom e percebi que cada ser humano tem seu saber e sua ignorância e cabe a nos respeitarmos porque a necessidade do ser humano é aquela. Tem gente que não aprende se não for da lei “É PROIBIDO”. Quantas pessoas boas vemos que são evangélicas,espíritas,católicas,umbanda e etc. Portanto não cabe a nós sermos tão severos ao fazer juízo de valor dessas pessoas, de apontarmos os erros e de fazermos criticas tão destrutivas e radicais.


A Bíblia é um documento que usa constantemente da simbologia, pois o MOMENTO E NECISIDADE do ser humano naquela época não os permitiam enxergar a lei do Amor de outro jeito se não esta. Não é atoa que Jesus falava constantemente em parábolas e o entendimento de tal varia com o grau de evolução do individuo.

Esse texto foi em defesa a igreja católica, evangélica e aos Mormons citados na sua postagem. Vamos respeitar a sua crença assim como queremos que os PRÉ-conceitos sejam jubilados de nosso vocabulário. Já dizia alguém muito sábio que “religião não se discute” afinal cada um tem seu momento e necessidade.

Não acho que a religiões citados por você deram a louca, acho que você que deu. Não é você que reclama da aceitação das diferenças? Quando uma delas resolve EVOLUIR e adaptar a realidade com a religião você acha que deu a louca? Acho um grande passo e tudo se conquistará, aos poucos, mudanças. Afinal mudanças radicais não criam raízes e alicerces firmes na sociedade. Acho muita ignorância de sua parte colocar desta forma, pois você desacredita na aceitação que tanto luta. Tudo evolui e religião e compreendi mento sobre ela também. E só lembrando existe milhares de religiões e doutrinas porque você não tenta se encaixar em algumas delas? Com certeza vai achar uma que te enriqueça como ser humano e te incentive a ser melhor. Pare de criticar sem construir, critique e construa.

Essa amigo foi diretamente a você, lembrando que em nenhum momento queria lhe ofender falei o que achava como dou a liberdade de você falar o que achar quando eu fizer algo. Mesmo nossa amizade sendo curta e nova e não tento contato com freqüência ,constante, eu me dei a liberdade de falar diretamente para você. Não acho que eu precise conhece-lo bem para dialogar sobre um texto que escreveu e não acho errado pois está é mais uma forma de nos conhecermos melhor porque só com as experiências de vivencia posso conhece-lo. Estou errado? Estou tentando agir de uma forma diferente da que eu agia antes da mesma maneira que conversamos na ultima vez que veio aqui em casa. Estive refletindo sobre minha vida e vi a minha ignorância em muita coisa (não que eu não saiba disso) e uma delas Leo é a hipocrisia de estarmos incomodado com algo em uma pessoa querida e considerada amiga e não falarmos. Claro que não podemos ser impulsivos e falar a verdade crua e dura, temos que ter amor e carinho afinal não é uma pessoa considerada amiga e querida? Depois que eu tive o incidente do tiro eu tive que parar e pensar: “ André vamos levantar bater a poeira e fazer uma reflexão:” claro que teve outros fatores que colaborarão para esse “acorda” como a briga boba que tive com o Antonio. E não estou incomodado com você também não expus minha opinião só não sabia que ia se ofender tanto ( foi o que percebi posso estar errado ).
Nossa quanto coisa escrevi deve ta sendo um saco ler mas vamos lá.
Não concordei com suas criticas em relação aos Mormons se eles estão começando a aceitar o homossexualismo mesmo que seja só alguns isso seria ruim? Não seria um bom titulo para uma critica construtiva. Não tem jeito de mudar séculos de cultura da noite pro dia, repito e aos poucos não podemos exigir respeito, temos que conquistar. Quando insinuei que você não tem religião eu estava mentindo? Pelo que sei e pelo que leio em suas postagens você é uma pessoas espiritualista e crista ou seja não levanta a bandeira de uma religião mas acredita em Deus e algo maior. Estou errado? Se estiver me perdoe. Só queria que você experimentasse uma religião a finco doase seu tempo a um estudo mais aprofundado a mesma, sem o intuito que seja um teólogo mas sim que abrisse mão do seu tempo pois seguir em uma religião não é fácil. Até te convido para a mocidade espírita tenho certeza que ia amar pergunte ao Dan ele já foi freqüentador. Lembrando que somos homens por isso ninguém é dono da verdade e razão mesmo que seja, papa, padre, pastor, bispo, espírita,budista,monge etc

Diante disso lhe pergunto “O que fazeis de especial?”

O meu querido amigo essa pergunta não é para ser respondia era para você refletir. Com certeza caridade que se mostra e exibe não tem valor e a parábola do Óbolo da Viúva.


Posturas como esse “Ai... religião é uma coisa que me cansa!”
Não gostei da sua postura na colocação, imagina quem Le seu Blog vai seguir que a linha de raciocínio: “esse é ateu”. Como eu disse lá em cima seguir uma religião não é fácil pois requer, estudo, disciplina,doar seu tempo a ela e remexer valores enraizados para poder começar a trabalhar a reforma intima.

“...só me prova uma coisa o ser humano tem medo de aprofundar em si mesmo para começar a reforma intima é cômodo não remexer nos valores enraizados para a mudança, de largar vícios terrenos de se perguntar a razão da vida, de se doar ao próximo, de se colocar na posição de humano imperfeito e que existe algo maior que nós.”

Esse levantamento é para você, para eu, para quem ler a mensagem, cada um vai tirar um entendimento dela.

Não adianta escolher um dia do ano para levantar a sua bandeira de conviquições e verdades se durante os 364 dias restantes você não lutou pelo que acredita, e quando digo lutar não é brigar e criticar e sim AGIR. Existem milhares de trabalhos voluntários de milhares de religiões, doutrinas, crenças ou OBJETIVOS em comum, porque não vejo você postar a sua vivencia em alguns deles?

Disse isso baseando no que você escreve e pelo pouco que conhecemos para criticar a maneira radical de suas colocações mesmo que você tenha motivos pois não é justificável porque se for assim muita gente tem motivos maiores para ser radical. Pois EU acredito que esse não seja o caminho. Olha que mensagem bonita eu li.

Na Luta Vulgar
"Pois aquilo que o homem semear, isso
também ceifará"
Paulo (Gálatas, 6:7)
Não é preciso morrer na carne para conhecer a lei das compensações.
Reparemos a luta vulgar.
O homem que vive na indiferença pelas dores do próximo, recebe dos semelhantes a indiferença pelas dores que lhe são próprias.
Afastemo-nos do convívio social e a solidão deprimente será para nós a resposta do mundo.
Se usamos a severidade para com os outros, seremos julgados pelos outros com rigor e aspereza.
Se praticamos em sociedade ou em família a hostilidade e a aversão, entre parentes e vizinhos encontraremos a antipatia e a desconfiança.
Se insultamos nossa tarefa com a preguiça, nossa tarefa relegar-nos-á à inaptidão.
Um gesto de carinho para com o desconhecido na via pública granjear-nos-á o concurso fraterno dos grupos anônimos que nos cercam.
Pequeninas sementeiras de bondade geram abençoadas fontes de alegria.
O trabalho bem vivido produz o tesouro da competência.
Atitudes de compreensão e gentileza estabelecem solidariedade e respeito, junto a nós.
Otimismo e esperança, nobreza de caráter e puras intenções atraem preciosas oportunidades de serviço, em nosso favor.
Todo dia é tempo de semear.
Todo dia é tempo de colher.
Não é preciso atravessar a sombra do túmulo para encontrar a justiça, face a face. Nos princípios de causa e efeito, achamo-nos incessantemente sob a orientação dela, em todos os instantes de nossa vida.
* * *
Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Fonte Viva.
Ditado pelo Espírito Emmanuel.
21a edição. Lição 160. Rio de Janeiro, RJ: FEB, 1997.

To certo que para se praticar a caridade não precisamos sair de casa, entretanto trabalhos no qual você se doa para algo é muito recompensador, mais benéfico para quem faz do que para quem é feito. Estou cansado do ser humano queixoso, faça a sua parte.

Nesse trecho sugeri a você a fazer um trabalho voluntario para poder descrever suas experiências. Porque não aquento mais ser humano queixoso. Que só briga, critica e não faz sua parte. Se você não faz ou faz Leo cabe só a Deus julgar não cabe a mim dizer e não cabe a você me dizer se faz ou deixa de fazer, só me referi a todos que lessem o texto.

Repito mais uma vez: nada pessoal meu amigo do coração as minhas palavras a você servem mais para mim e achei digno escrever para expor a minha idéia e principalmente acordar eu das minhas responsabilidades como espírita. Tire do texto o que lhe for útil e me perdoe se lhe ofendi a intenção não era dar “tapa” na cara de ninguém e nem sei porque sentiu isso mas se eu que tenho tanta consideração contigo não poder dizer a ti o que penso me desculpe não sei o que é amizade. Com lírios e espinhos que vamos nos conhecendo e de forma civilizada vamos aprimorando ela. Outro dia expôs minha opinião com uma pessoa no qual tenho muita consideração também e considero amiga ele me respondeu. “André,O que expus é minha opinião. Opinião pessoal e é óbvio que você não precisa compartilhá-la.” Poxa se não posso compartilhar opinião com ele que considero que é amigo com quem vou?
Muita Paz

Bardock o Bardo disse...

"epito e aos poucos não podemos exigir respeito,"

Corrigindo
repito é aos poucos, não podemos exigir respeito

Cult 28 disse...

Realmente fui infeliz quando disse:

"Ai... religião é uma coisa que me cansa".

Peço desculpas se ofendi alguém com esse comentário. Quanto ao restante, este é o meu ponto de vista.

Abraço a todos!

Estão espiando