terça-feira, 3 de julho de 2007

Ser feliz ou ter razão!

"Oito da noite numa avenida movimentada. O casal já está atrasado para jantar na casa de uns amigos. O endereço é novo, assim como o caminho que ela conferiu no mapa antes de sair. Ele dirige o carro. Ela orienta e pede para que vire, na próxima rua, à esquerda. Ele tem certeza de que é à direita. Discutem. Percebendo que além de atrasados, poderão ficar mau humorados, ela deixa que ele decida. Ele vira à direita e percebe que estava errado. Embora com dificuldade, admite que insistiu no caminho errado, enquanto faz o retorno. Ela sorri e diz que não há problema algum em chegar alguns minutos mais tarde.

Mas ele ainda quer saber:
- Se você tinha tanta certeza de que eu estava tomando o caminho errado, deveria insistir um pouco mais.

E ela diz:
- Entre ter razão e ser feliz, prefiro ser feliz. Estávamos à beira de uma briga, se eu insistisse mais, teríamos estragado a noite."

Autor desconhecido!

As vezes é melhor calar-se em uma discussão e deixar o outro ter razão, e assim evitar um estrago maior. Ou até mesmo abrir mão de muitas coisas em troca da felicidade do outro.

Vários conselhos, vários pensamentos, expressões para levantar nossa moral, dar esperança ao coração. Mas será que realmente vale a pena. Abrir mão da seus principios, vontades e ideais, somente para não deixar o outro triste ou chateado. Nas guerras é assim também; perdemos uma batalha para aprender mais, e vencemos outras depois.

Fazer valer a pena... essa é a expressão correta... abrir mão de algumas coisas e ser feliz, perder a razão completamente, se entregar ao desconhecido, mostrar aos outros que a razão nem na matemática é coisa certa.

O amor é sem razão, e não adianta tentar forçar o outro a aceitar isso, ou impor que a forma de amar estar errado. Mostre o amor, amando!

Bonito né! Mas só aprendi isso errando. E como amigo que sou, falo de minhas experiências para que os outros não errem também.

Cai feio, e lá embaixo era sombrio, muito escuro, não queria ficar lá, deu medo. Então voltei, baixei a cabeça e assumi meu erro. Prefiro viver numa tarde qualquer, que na escuridão total, pois sei que um dia vai amanhecer, e de dia, com o sol raindo, ele vai ver claramente o que eu queria mostar, e não vai ser tarde, porque eu sempre estarei lá.

2 comentários:

Wally disse...

Isso é viver...

Joyce Garófalo disse...

Amar é uma coisa meio complexa mesmo. É amando que a gente aprende a ser e a deixar de ser... Pq o amor é ceder, é quase, quase, se anular, pra conseguir ser de novo, e de uma forma bem maior. Ame sempre, se permita sempre!

beijos!

Estão espiando